Resumo dos trabalhos:

(* trabalhados que ainda serão lançados)

 

2021

EP Oscuro - Guilherme Kafé

SINGLE Diga Amizade - Paulinho Brandão*
ALBUM Gente de Carne - Joy Espíndola*

ALBUM Cria - Eva Figueiredo*

 

2020

SINGLE Vaso Quebrado - Guilherme Kafé & Maurício Tagliari

TRILHA SONORA Danças Afroatlânticas

EP Moda a Dois - Paulinho Brandão

JINGLE Descarte Consciente

JINGLE Nossa Gratidão


2019

ALBUM Eu sou o tipo de pessoa que pode transformar tudo em sua casa - Guilherme Kafé

SINGLE Salomé - Ana Flor de Carvalho

2018

SINGLE Onde Estivemos Todo esse Tempo - Daniel Medina (feat. Paulo Neto)

EP (Ao Vivo) Forrobodó do Jabah

2017

ALBUM Dança Três - Maria Ó  (Co-produção)


2015

EP Kafé com Trem 

2014

EP Desayuno

Embora ainda seja um tanto novato, cada vez mais, venho sendo procurado e reconhecido no vasto território da produção musical. Desde “Dança Três” (2017), de Maria Ó – minha primeira incursão na produção musical fonográfica – tenho assumido esse papel com maior frequência e consciência.


Acredito que o grande desafio desse trabalho seja ajudar artistas a encontrarem sua própria voz e descomplicar a caminhada entre as pedras – afinal, são muitos processos entre as canções existirem, na sua forma mais crua, (compostas em formato voz e violão, p. ex.) até elas estarem disponíveis ao público, seja nas plataformas digitais ou em mídia física.
 

Como tenho trabalhado, em geral, com artistas produzindo os primeiros trabalhos – seja em singles, EPs ou álbuns – é muito raro não haver certas incoerências entre o desejo e a realidade, seja no âmbito musical, prático e/ou estético: quer fazer música de “pixta”, mas a canção é completamente intimista; quer gravar um arranjo com orquestra sinfônica, mas num tem dinheiro; quer colocar num mesmo disco todas as suas facetas de uma só vez; a lista é infinita.
 

Por ser muito amplo, variado e difuso, o ofício do produtor pode ser um tanto ardiloso. Pode englobar desde questões muito técnicas relativas à engenharia de som (captação, mixagem, masterização), questões “estritamente musicais" (arranjo, escolha de tom, instrumentação, etc), questões relativas à(s) canção(ões) (escolha de repertório, pitacos e/ou sugestões de ajustes nas composições) entre outros assuntos (sincronização digital, ISRC, etc.).

 

Além disso vejo dois perfis de produtores: aqueles que têm uma espécie de assinatura, e são requisitades por imprimirem sua personalidade musical seja lá qual for o material; e aqueles que “entram na onda” de cada artista, buscando encontrar o caminho daquele trabalho em específico. Claro que isso é só minha forma de ver o assunto, e essas categorias não são estanques, elas se misturam em maior ou menor grau em cada profissional.

Dito isso, acredito que tendo a balançar mais para o lado que “surfa” no desejo dx artista. Até por essa incipiência, talvez, a minha vontade é mesmo de transitar e passear por muitas veredas musicais, sempre tendo esse norte (é claro) de construir conjuntamente com quem me contrata.

 

Se você quiser saber mais sobre como funciona me mande uma mensagem! Bora produzir juntes (:
Aqui ao lado, você encontra duas playlists com trabalhos que realizei operando nessa função. Espero que goste!